Macaco Guariba chama atenção de moradores em Sapé; espécie é ameaçada de extinção

Entenda o comportamento do animal que chegou na cidade há cerca de 15 dias e já foi flagrado em telhados, nos quintais e até na feira da cidade.

Macaco guariba tem sido visto por moradores subindo em árvores e telhados, em Sapé. (Foto: Arquivo/TV Cabo Branco).

Um macaco da espécie Bugio ou Guariba-De-Mãos-Ruivas, também conhecido como Guariba-Preta ou Macaco Guariba, vem sendo a grande atração de Sapé, no Brejo Paraibano. Ele apareceu na cidade há cerca de 15 dias e é flagrado constantemente circulando pelas ruas (veja vídeo abaixo).

Os locais preferidos desta Guariba na cidade são os quintais e ruas com árvores frutíferas, onde ele enche a barriga e costuma descansar.

O animal já foi visto até na feira de Sapé e adora a casa do servidor público, Ricardo Aguiar, que tem um grande pé de caju em seu quintal. “É um animal tranquilo, é dócil, não mexe com ninguém. O pessoal tá respeitando sim!”, disse o morador.

Espécie ameaçada de extinção

Segundo o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros (CPB), do Instituto Chico Mendes (ICMBio), a espécie é ameaçada de extinção. Existem menos de 500 indivíduos em 18 localidades isoladas na região de Mata Atlântica.

Na região de Pacatuba, distrito de Sapé, fica uma reserva do patrimônio natural, apontada como o local de maior subpopulação da espécie. A área fica a 10 quilômetros do Centro da cidade e faz parte do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Primatas do Nordeste.

Por conta da reserva, o comportamento deste espécie de animal já vem sendo monitorado há mais de quatro anos nas proximidades da cidade ou até mesmo em áreas centrais de Sapé.

A pesquisadora do ICMBio, Mônica Montenegro, que estuda a espécie na Paraíba, explica que este comportamento da Guariba está ligado à reprodução.

“Quando os animais, tanto os machos quanto as fêmeas, estão para atingir a idade adulta reprodutiva, eles deixam seus grupos familiares justamente para que não haja reprodução entre os da mesma família. E vão em busca de outras áreas, outras florestas, para formar suas próprias famílias”, disse.

Nesta procura os macacos acabam passando por estradas, sítios e até mesmo cidades como Sapé para tentar encontrar outros animais.

Ainda conforme a pesquisadora, esse caso não é único na espécie e eles monitoram outros indivíduos para a reintrodução na natureza.

Conscientização

A 9ª Companhia Independente dos Bombeiros, em Sapé, está monitorando a situação da Guariba na cidade.

Uma reunião com o ICMBio sobre o caso foi convocada e principal trabalho, no momento, é o de conscientização dos moradores sobre a convivência com o macaco.

As orientações são:

  • Deixar o animal livre;
  • Não alimentá-lo;
  • Não tocar no macaco;
  • Não tentar capturá-lo.

Segundo os Bombeiros, dessa forma a Guariba não é posto em risco e pode retornar naturalmente à reserva que fica próxima da cidade.