Projeto desenvolvido em Campina recicla 150 toneladas de borracha por mês e exporta pneus mais duráveis

Projeto tem levado o nome da indústria paraibana para todo o país

Quando teve a ideia o diretor de inovação da RHPE Indústria de Artefatos de Borracha, Neto Porto, não imaginava que um dia o projeto seria referência nacional em preservação do meio ambiente, inovação e desenvolvimento industrial.

A criação de um pneu mais resistente, a partir da reciclagem da borracha, vem revolucionando os conceitos e levando o nome da indústria paraibana para todas as partes do país.

O projeto do ‘Pneumacio – o pneu que não fura’ tem sido apresentado em vários eventos de inovação tecnológica.

A proposta custou à RHPE cerca de R$ 3 milhões. Parte desse montante, cerca de trezentos mil (10%), oriundos de recursos do Senai Nacional. Projeto desenvolvido em Campina recicla 150 toneladas de borracha por mês e exporta pneus mais duráveis

O dinheiro foi acessado através de um edital de inovação, disponibilizado pelo Senai Nacional para todos os empreendedores brasileiros.

“A Fiep não contribuiu com um único parafuso. Existe um edital que qualquer pessoa pode conseguir esse recurso. Não existiu nenhum favorecimento para mim não. O dinheiro veio do Senai Nacional e foi direcionado ao Senai Paraíba. Depois foi convertido em horas técnicas de trabalho. Nós não recebemos um único centavo sequer”, explica Neto Porto.

Hoje a empresa mantém 65 empregados, apenas com o desenvolvimento do projeto, e consegue reciclar 150 toneladas de borracha por mês – com uma produção que chega a 60 mil unidades.

A fábrica tem sede em Campina Grande e é da cidade que o produto é exportado para outros recantos do país e para o Mercosul.

Ao analisar o cenário atual da indústria paraibana, o diretor do projeto ressalta: “Hoje há um distanciamento da entidade com os industriais do Estado. Em outros Estados as federações têm um papel crucial. Aqui na Paraíba falta espaço para o empresário”.

Com o produto consolidado e patenteado, o desafio agora é expandir ainda mais a tecnologia e o projeto.

Os planos são muitos e o desejo de vê-los se tornar realidade estão no coração e na alma do industrial paraibano.

Projeto desenvolvido em Campina recicla 150 toneladas de borracha por mês e exporta pneus mais duráveis