Festa de São João (ou Junina): significado, importância e origem

Festas de São João em Campina Grande – Foto: Emanuel Tadeu/Divulgação

A festa de São João tem origem na celebração pagã do solstício de verão e em elementos cristãos. Roupas e comidas típicas, dança e música são parte da tradição.

No mês de junho o nordestino vive o período festivo mais celebrado da região: a festa de São João. As festas juninas, que homenageiam Santo Antônio, São João e São Pedro, são comemoradas por milhões de pessoas e têm grande importância cultural e econômica. 

As festividades em homenagem aos três santos existem desde a idade média. No entanto, alguns simbolismos e comemorações presentes no mês de junho possuem origens mais antigas. No Brasil, com o decorrer do tempo, outros costumes foram incorporados ou adaptados, formando as festas juninas como são conhecidas atualmente.  

Nesta reportagem especial, o Jornal da Paraíba traz as principais informações sobre as festas juninas, como aspectos históricos e significados dos elementos mais presentes nas comemorações. 

Qual é o significado da festa de São João?

As festas do mês de junho fazem referência a três santos: Santo Antônio, São João e São Pedro. A festa de São João, no dia 24, comemora o nascimento de João Batista. Já o Dia de Santo Antônio, 13 de junho, e o Dia de São Pedro, 29,  marcam a data da morte dos dois santos. 

Durante as festividades, as famílias e amigos costumam se reunir para dançar, comer pratos típicos do período e até fazer algumas brincadeiras. No caso de Santo Antônio, considerado o santo casamenteiro, muitas pessoas costumam fazer promessas, orações e simpatias, com o objetivo de encontrar um amor. 

Todos os elementos das festas juninas, das comidas às vestimentas, estão carregadas de significados. Algumas tradições já estavam presentes no começo das comemorações, outras foram incorporadas às festividades no decorrer do tempo. 

Qual é a origem da festa de São João?

A origem das festas juninas está relacionada a uma comemoração pagã. No mês de junho, no hemisfério norte, era comemorado o solstício de verão, que é quando o sol atinge o seu pico mais alto, ocasionando o dia mais longo e a noite mais curta do ano. 

Como também era um período de colheita, as celebrações tinham forte ligação rural, por causa dos agricultores, e também eram focadas no agradecimento pelos bons frutos. 

Quando a igreja católica ascendeu ao poder, houve um incômodo com as comemorações pagãs que tinham forte adesão popular. Assim, ficou decidido unir as celebrações dos santos ao significado das festas, como explicou o historiador e professor da Universidade Federal da Paraíba Ângelo Antônio. 

“A gente sabe que ali nos primeiros séculos do cristianismo houve uma acoplagem desse calendário pagão, que estava muito ligado aos ritos de passagem das estações, das colheitas, rituais de fertilidades, e que vão sendo de uma maneira ou de outra reapropriados pela lógica católica”.  

A importância das festas juninas

As festas juninas são muito importantes para a cultura e economia dos locais onde são realizadas. 

Falando sobre economia, Campina Grande, por exemplo, em 2019, foram gerados cerca de 3 mil empregos e a circulação de R$ 300 milhões. Em 2022, após dois anos sem o evento, por causa da pandemia da Covid-19, a estimativa de dinheiro injetado na economia local foi de R$ 400 milhões. 

O impacto econômico positivo é resultado do amor pela festa e tradições da época. Especialmente no Nordeste, pessoas de diferentes localidades participam das festas como preferem, seja aproveitando os shows, dançando quadrilha ou se reunindo com a família. 

Essa movimentação impulsiona o setor cultural, o turismo, a hotelaria, estabelecimentos do meio gastronômico, o artesanato, entre outras áreas de comércio e serviços. 

Quando e onde ocorre a Festa de São João?

No Brasil, a festa de São João é comemorada em grande parte do território, mas as festividades possuem mais força no Nordeste, região que concentra algumas das festas mais famosas, como o São João de Campina Grande. 

Há comemorações também em outros países. No Canadá, por exemplo, o santo é celebrado na parte do país que foi colonizada pelos franceses. A tradição foi levada ao país da América do Norte pelos colonizadores e permanece viva até os tempos atuais. 

Além do Canadá, Espanha, Porto Rico e Peru também comemoram o nascimento de João Batista, de diferentes formas. Em San Pedro Manrique, na Espanha, por exemplo, mil quilos de lenha são queimados em frente à ermida da Virgen de la Peña, e homens caminham sobre as brasas com outras pessoas nas suas costas, como uma forma de penitência. 

Na Suécia, há uma forte comemoração nesta mesma data, porém, o país  celebra o solstício de verão. A festa é chamada de Midsommar e tem como características danças tradicionais ao redor de um mastro, roupas temáticas, além do uso de coroas de flores e folhas. 

Exemplos de festa de São João no Nordeste

Grupo de pessoas vestidas a rigor, dançando na maior festa de São Joao do Brasil, em Campina Grande, na Paraíba.
Campina Grande, na Paraíba, é onde ocorre a maior festa de São João do Brasil – Foto: Shutterstock.

Foi no Nordeste que a festa de São João, trazida pelos portugueses, alcançou maior notoriedade e se estabeleceu como tradição. O professor Ângelo Antônio acredita que isso se deu por causa das características da urbanização e imigração na região. 

“Talvez tenham ficado mais fortes no Nordeste porque você tem uma urbanização mais intensa no Centro-Sul, com a presença de imigração de outros países de outros países, como Itália, Japão, Alemanha, entre outros onde não eram tão fortes as comemorações. No Nordeste foi mantida essa população mais luso-brasileira”.  

Além disso, a maior parte do território nordestino, especialmente o interior, teve por muito tempo modos de vida relacionados ao meio rural, como a forte presença da agricultura. Essa característica é fortemente ligada às festas juninas, que, como explicado anteriormente, têm origem nas comemorações pelos bons frutos das colheitas. 

A maior festa de São João do Brasil: Campina Grande, Paraíba

Um título oficial de Maior São João do Mundo foi concedido a Campina Grande pelo Ranking Brasil, em 2022. No entanto, a festa é conhecida por esse termo há muito tempo. 

Os motivos para tal reconhecimento são muitos, como o número de dias do evento que dura o mês inteiro, assim como o tempo de existência, uma vez que a festa de São João de Campina Grande completa 40 anos em 2023. 

Na edição deste ano, estão confirmados pelo menos 97 artistas, incluindo grandes nomes da música brasileira, como Chico César, Geraldo Azevedo e Alceu Valença. 

Festa de São João em Recife e Caruaru, Pernambuco 

Em Recife, durante o mês de junho, há a comemoração do Ciclo Junino, que acontece desde o século XVI. De acordo com a Secretaria de Cultura da capital de Pernambuco, a programação era fortemente religiosa e tinha como destaques os bairros de São José, Santo Antônio e Boa Vista, localizados na área central. 

Atualmente, o período tem diversas atrações culturais. A programação do evento em 2023 ainda não foi divulgada, mas a prefeitura lançou um edital para artistas que desejem se apresentar, além das inscrições para o concurso de quadrilhas. 

Em Pernambuco, a principal festa de São João é a de Caruaru. O evento é considerado um dos maiores do Brasil e, por isso, há uma ‘competição’ com a festa de Campina Grande. De acordo com a Agência Brasil, além dos shows e quadrilhas, o evento tem como marca registrada as comidas gigantes. Já foram servidos por lá, o maior pé-de-moleque do mundo, mungunzá gigante, a maior pipoca e o maior arroz doce do planeta, sem falar no maior cozido de milho e chocolate quente do mundo.

Estima-se que pelo menos 100 mil pessoas por dia visitem o Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, onde o evento acontece de 3 de junho a  1º de julho. Além da programação principal, desde o dia 28 de abril acontecem apresentações culturais nos fins de semana, em polos espalhados na zona rural do município, como Vila do Juá, Rafael e Malhada de Barreira Queimada.

Festa de São João no Maranhão

Uma das principais manifestações culturais do Maranhão, que tem forte presença nas festas juninas, é o bumba meu boi. Trata-se de um espetáculo envolvendo cores, música e danças, com elementos de diferentes culturas, como a indígena, africana e europeia. A tradição tem tanto destaque que foi reconhecida como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, em 2019, pela Unesco.  

É no mês de junho que o Bumba Meu Boi do Maranhão arrasta multidões, com diferentes sons, chamados sotaques. Há cinco sotaques mais conhecidos, são eles: sotaque de zabumba; de orquestra;  de Pindaré, com matracas e pandeiros pequenos; de costa de mão; e  da Ilha ou de matraca, que é como são conhecidos os bois da ilha de São Luís.  

Outro destaque da festa de São João do Maranhão é a festa de São Marçal, que acontece na capital São Luís no dia 30 de junho. O evento é realizado há 95 anos e reúne grupos de bumba meu boi. 

Festa de São João na Bahia

Apesar da Bahia ser conhecida pelo tradicional carnaval, o estado também festeja bastante o São João. Na capital, Salvador, são realizados eventos em vários pontos da cidade, especialmente no Pelourinho. 

No interior do estado, a festa de São João mais famosa é a de Irecê. Em 2023, o evento acontecerá de 21 a 23 de junho, com shows de artistas como Vanessa da Mata, Maiara e Maraísa e mais. 

Festa de Santo Antônio no Ceará 

Uma das tradições das festas juninas do Nordeste que merecem destaque é a festa de Santo Antônio, em Barbalha, no Cariri do estado. O evento acontece entre o final de maio e os primeiros dias de junho e é reconhecido como patrimônio imaterial, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)

Na festa, a bandeira de Santo Antônio é hasteada em um mastro com vários metros de altura. Antes do hasteamento, o tronco é carregado por dezenas de moradores da cidade até o local onde a comemoração acontece. Além disso, os festejos recebem atrações musicais e grupos folclóricos, como reisados e bandas cabaçais. 

Tradição e características da festa junina

Homem com chapéu de palha e camisa vermelha xadrez, celebrando Festa de São João à noite, com várias pessoas ao fundo, olhando para as faíscas de fogo que ele está fazendo
Saiba mais sobre as tradições das festas juninas. Foto: Shutterstock.

As festas juninas são carregadas de simbolismos presentes na dança, nas roupas e nas comidas oferecidas. As fogueiras, por exemplo, já faziam parte das festas de solstício de verão, acesas como agradecimento ou para espantar maus espíritos. 

Em terras brasileiras, a tradição foi trazida pelos portugueses, ainda no processo de colonização, no século XVI. No país, influências culturais diversas foram acrescentadas à festa. Da quadrilha, de origem francesa, às comidas feitas a partir do milho, que têm forte ligação indígena. 

Acompanhe mais notícias de cultura no Jornal da Paraíba e fique por dentro da programação cultural de todo o Nordeste brasileiro.

Roupa de festa de São João

Pesquisadores defendem que as roupas utilizadas na festa de São João são heranças da colonização europeia, mas que foram adaptadas no Brasil. Os chapéus de palha, por exemplo, eram utilizados pelos camponeses que festejavam suas colheitas, assim como pelos agricultores brasileiros. 

As roupas femininas estampadas com tecidos caros e maquiagens fortes eram utilizadas pelas mulheres europeias. No Brasil, os sapatos caros foram substituídos pelas sandálias de couro. Já os tecidos foram trocados pela chita, de baixo custo e acessível às diferentes classes sociais. 

Comidas de festa de São João

Desde o início, as festas do mês de junho costumavam ser regadas a bebidas e comidas feitas a partir da colheita. No Brasil, a tradição na festa de São João continua, com alimentos feitos, principalmente, à base de milho, que é bastante comum por aqui. 

Danças típicas e música para festa de São João

Quadrilha junina se apresenta na festa de São João Foto: Divulgação/PMCG

A quadrilha, principal dança das festas juninas, teve origem na França.  A “quadrille” surgiu em Paris, no século XVIII, era bastante apreciada pela aristocracia e foi trazida para o Brasil por volta de 1830. Aqui, a dança foi modificada e adaptada, caindo no gosto da população durante o período junino. 

A música, especialmente no Nordeste, é o forró e gêneros similares, como o xaxado e baião. Em outras regiões do país, músicas ligadas ao meio rural, como o sertanejo, também animam as festividades. 

Bandeirinhas de festa junina no teto. No chão, várias pessoas vestidas à rigor dançando quadrilha, celebrando a tradição de São João
Quadrilha junina se apresenta na festa de São João Foto: Divulgação/PMCG

Brincadeiras para festa de São João

Durante a  festa  de São João, é comum a realização de brincadeiras, principalmente entre as crianças. Apesar dessas brincadeiras serem executadas em outras épocas do ano, no São João, elas têm presença garantida.  

Alguns exemplos de brincadeiras são: quebra-panela, que consiste em um balão ou recipiente de barro cheio de doces, que deve ser quebrado por uma criança vendada; há também a pescaria, com peixes de madeira ou papelão e em cada um há um prêmio para quem conseguir pescar. 

Outra brincadeira bastante comum nas festas juninas é a corrida de saco. Na competição, vence quem cruzar primeiro a linha de chegada, vestindo um saco de estopa. 

Principais elementos: Qual é o motivo da fogueira de São João?

Nas festas juninas, é comum a realização de fogueiras, especialmente no dia de São João. Na tradição católica, a fogueira foi acesa pela mãe de João Batista, Isabel, para sinalizar que a criança havia nascido. 

A prática vem desde as comemorações do solstício de verão. Estas fogueiras eram acesas como forma de agradecimento e também para afastar maus espíritos. Com a introdução do catolicismo na festa de São João, as fogueiras continuaram sendo acesas, mas passaram a ser associadas aos santos. 

Resumo

Neste artigo, você ficou por dentro da origem da festa de São João, assim como sobre o significado dos principais elementos presentes nas festividades. As cidades do Nordeste preparam os eventos anualmente, movimentando toda uma cadeia cultural e econômica na região. 

Em Campina Grande, por exemplo, a festa, considerada o maior São João do Brasil,  chega aos 40 anos em 2023, com a apresentação de pelo menos 97 artistas. Na cidade, o mês de junho é o mais lucrativo para os setores da cultura, do comércio e de serviços. Em 2022, o evento movimentou cerca de R$ 400 milhões. 

Além dos grandes eventos, as festas juninas são marcadas por fortes tradições que foram adaptadas pelo povo brasileiro. A quadrilha, principal dança do período, veio da França do século XVIII. Já as fogueiras, são registradas desde quando as festividades juninas tinham caráter pagão, o solstício de verão, e eram acesas em agradecimento ou para afastar maus espíritos. 

Se você  deseja ficar por dentro das programações na festa de São João, acesse o Jornal da Paraíba para ver a cobertura completa e conteúdos especializados em cultura e entretenimento. São listas com dicas, programações dos eventos, entrevistas com artistas e muito mais.