Aluno de escola pública que passou em engenharia da computação usou inteligência artificial para estudar

Ghabriel, que foi aluno de escola pública, conta que usou Chat GPT como recurso.

Aluno de escola pública que passou em engenharia da computação e usou inteligência artificial para estudar. Foto: Ghabriel Camilo/Arquivo pessoal.

A nota da primeira prova do Enem de Ghabriel Camilo já foi aproveitada para entrar na universidade. No começo deste ano, o jovem foi aprovado no curso de engenharia da computação, na Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Aluno de escola pública em João Pessoa, o paraibano conta como usou a inteligência artificial, por meio do Chat GPT, como recurso durante os estudos.

“Pedia para a IA resolver questões passo a passo e eu ia acompanhando”, contou.

As ferramentas, por outro lado, foram usadas poucas vezes. De acordo com o estudante, os resultados não eram muito precisos.

Por isso, a maratona de preparação dele foi consolidada em três atividades:

  • Assistir a videoaulas;
  • Resolver questões;
  • Escrever uma redação por semana.

Além disso, o jovem organizava as três horas diárias de estudos com base em uma grade que contemplava todas as disciplinas que precisavam ser estudadas.

A forma com que Ghabriel estruturou e teve disciplina com os estudos o levou à aprovação, provocando no jovem um misto de surpresa e felicidade.

Para quem também quer entrar na universidade em um curso na área de exatas, o paraibano recomenda focar nas disciplinas de matemática e redação.

Mesmo ainda sem uma definição sobre qual área seguir, Ghabriel já ensaia sonhos e planos para o futuro.

“Ainda estou explorando essa área para saber mesmo o que quero seguir. Mas, no momento, pretendo trabalhar com lojas de assistências técnicas especializadas em computadores e peças”, finalizou.

Quer conhecer outros bons exemplos de estudantes que se deram bem no Enem e conquistaram uma vaga na universidade? Acesse a editoria de educação do Jornal da Paraíba e se inspire com essas histórias.