Estudante do Sertão que trabalhava de dia e estudava de madrugada é aprovada em direito na UFPB

Aprovada em direito pela UFPB fala sobre sua preparação para a prova e rotina de estudos.

Jorrany Tiburtino, aprovada em direito da UFPB.

Jorrany Miguel Tiburtino, de 19 anos, sempre viu no curso de direito uma oportunidade de compreender a sociedade na qual vivia. Natural de Patos, Sertão da Paraíba, Jorrany concluiu o ensino médio em uma escola pública e, através de sua dedicação às aulas e de uma rotina árdua de estudos em casa, conseguiu realizar o grande sonho de ser aprovada em direito na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

A estudante conta que, antes de ser aprovada em direito, cursou farmácia por um tempo, mas nunca desistiu de ir atrás da carreira que sempre almejou seguir. Durante o dia, Jorrany trabalhava como assistente em um consultório odontológico, esterilizando e organizando materiais. Após o trabalho, ia direto para o ponto de ônibus aguardar o transporte que a levaria para a faculdade. 

“Estudava para o Enem quando retornava à noite, e nos sábados e domingos revisava os assuntos que estudei na semana”, relata a jovem, que começava a estudar às 23h e só parava por volta das 2h madrugada.

LEIA TAMBÉM:

+ Veja como usar a nota do Enem
+ Jovem do Sertão que estudava de dia e era garçom à noite passa em medicina

O processo para ser aprovada em direito

Ao falar do seu processo de preparação para realizar a prova do Enem, a estudante conta que apesar de nunca ter frequentado um cursinho preparatório para o vestibular, se focava em estudar por conta própria em todo o tempo livre que possuía, praticando principalmente redação.

“Estudava de 4 a 5 horas por dia para ter um bom desempenho, abri mão muitas vezes de momentos de diversão”, conta Jorrany. No que diz respeito à redação, ela não guarda segredos quanto às dicas para melhorar. “Primeiro entender a teoria, saber a divisão de uma redação, argumentos e tese. Depois a prática é essencial, a partir da produção da redação e correções de erros”, diz ela, que pontuou 940 na redação do Enem.

Sobre o motivo de nutrir tanta admiração pelo direito, Jorrany explica seu amor pela área sem hesitação e diz que o curso abre oportunidades para uma ampla escolha de carreiras. “Ser advogado é mais do que só leis e normas, engloba trabalho, estudo, paciência e coragem”, afirma.

Sabendo da luta de inúmeros jovens para ingressar numa universidade pública e ter a oportunidade de adentrar no curso que almejam, a jovem deixa o encorajamento de que, apesar de muitas vezes demorarmos para atingir nossos objetivos, o importante é nunca desistir de ir atrás da realização deles.