Botafogo-PB censura mais uma vez a Rádio CBN

Max Oliveira cobriu a partida do Botafogo-PB contra o Floresta, no Almeidão, pela Série C, mas foi proibido de fazer perguntas na coletiva de imprensa.

Foto: Divulgação / Semob-JP

A Rádio CBN Paraíba foi mais uma vez proibida pelo Botafogo-PB de fazer o seu trabalho. Desta vez, o repórter Max Oliveira foi impedido de participar da coletiva de imprensa depois do empate do time com o Floresta, por 1 a 1, no domingo (4), no Almeidão, pela Série C do Campeonato Brasileiro. A informação da proibição só chegou ao repórter momentos antes de o técnico Felipe Surian iniciar a sua entrevista e foi comunicada pela assessoria de imprensa do clube.

De acordo com o assessor botafoguense, a determinação partiu da diretoria, que, no entanto, não explicou os motivos da censura. As outras rádios que cobriram a partida — Tabajara, Band News e Pop FM — tiveram o direito de fazer perguntas normalmente. Além do técnico Felipe Surian, o Belo também escalou o lateral-direito Ricardo Luz para a coletiva.

Max Oliveira, Rádio CBN
Max Oliveira, durante a cobertura de Botafogo-PB x Floresta, no Almeidão — Foto: Acervo pessoal / Max Oliveira

Censura é reincidente no Botafogo-PB

Antes do caso de domingo, o clube já havia cerceado o direito do repórter Fábio Hermano, também da Rádio CBN, de participar de coletivas e entrevistas no dia a dia da Maravilha do Contorno. Mesmo sem concordar com as “justificativas” apresentadas pelo Belo, a Rede Paraíba decidiu trocar de profissional e escalar Max Oliveira para as coletivas.

“Foi uma surpresa grande, além de um constrangimento desnecessário, quando o repórter foi comunicado de que não participaria da coletiva. Mesmo vendo como um abuso de autoridade o impedimento a Fábio Hermano, escalamos Max Oliveira para participar da coletiva por entender a relevância das entrevistas para os torcedores. O clube mais uma vez mostra que não está preocupado com o seu maior patrimônio ao impedir a CBN de levar as informações fora da bolha imposta pelos dirigentes”, disse Expedito Madruga, coordenador de esportes da Rede Paraíba.

Diversos jornalistas, inclusive de outros sistemas de comunicação, lamentaram a postura da diretoria. Torcedores também se manifestaram em rede sociais condenando a censura imposta contra a Rede Paraíba.