Magno Alves é vítima de golpe de mais de R$30 milhões da Braiscompany

Ex-centroavante, Magno Alves, que é ídolo do Ceará e do Fluminense, investiu na companhia paraibana de criptomoedas, com promessa de rendimentos mensais de até 10% ao mês.

Foto: Tiago Gadelha/Agência Diário

O ex-centroavante Magno Alves foi vítima de um golpe financeiro da empresa Braiscompany. Os investimentos do ídolo do Ceará e Fluminense na empresa paraibana de criptomoedas ultrapassaram os R$ 32 milhões. O caso é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF).

No processo, de mais de 437 páginas, o Magnata pede, entre outras questões, o bloqueio de R$ 32.031.763,22 nas contas dos donos da companhia, referentes ao valor investido na empresa. Magno Alves solicita, ainda, que haja um entrave de todo e qualquer ativo de criptomoedas sob custódia da Braiscompany.

Magno Alves entrou como investidor da Braiscompany em fevereiro de 2021. Ao fim de 12 meses de contrato, a promessa era de que o ex-jogador teria todo o dinheiro investido de volta. Foram 33 contratos firmados com a companhia, de março daquele ano até janeiro de 2023.

Magno Alves investiu mais de R$ 30 milhões

A partir de dezembro de 2022, no entanto, a Braiscompany não honrou mais os compromissos assumidos com Magno Alves, e notícias veiculadas alertaram o ex-jogador de que a empresa e seus sócios poderiam estar aplicando golpes nos clientes.

Magno Alves foi vítima de golpe da Braiscompany
Bens ligados à investigados da Braiscompany vão passar por leilão – Divulgação/Braiscompany

Ao todo, o MPF contabiliza 18.570 clientes ligados à Braiscompany, com investimentos que podem alcançar mais de R$ 1 bilhão.

Aos clientes, a Braiscompany prometia rendimentos de até 10% ao mês. Atualmente, a companhia sediada em Campina Grande se encontra sob investigação por crimes contra o sistema financeiro. O patrimônio da empresa está bloqueado, e os proprietários, Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, seguem foragidos..