Caso Anielle: Suspeito de matar menina de 11 anos diz ter sido agredido por policiais após ser preso

Em audiência de custódia, José Alex da Silva falou sobre as supostas agressões que, segundo advogado, fizeram com que ele confessasse o crime.

O suspeito de matar a menina Anielle Teixeira, de 11 anos, que estava desaparecida e foi encontrada morta na quarta-feira (8) em João Pessoa, disse ter sido agredido por policiais militares de Pernambuco, após ser capturado na cidade de Ferreiros. A acusação foi formalizada em audiência de custódia, nesta quinta-feira (9), e confirmada pelo advogado de defesa.

>> Mãe de suspeito do crime desabafa na delegacia 

Segundo Daniel Alisson, advogado de defesa do principal suspeito de ter matado Anielle, José Alex da Silva teria sido agredido ainda em Pernambuco. O advogado atribuiu às agressões o fato de Alex ter confessado o crime.

Em depoimento na audiência de custódia realizada nesta quinta-feira (9), Alex afirmou que havia sofrido agressões físicas. Segundo o advogado, ele também negou tenha assassinado e estuprado a menina. No entanto, a Polícia Civil da Paraíba havia confirmado que ele tinha confessado a morte, mas negado o crime sexual. 

O comandante do 2º Batalhão da PM de Pernambuco, tenente-coronel Ivson Amílcar, informou que não tem conhecimento de que tenha ocorrido agressão ao suspeito,  mas  garantiu que vai cumprir todos os protocolos de investigação que forem estabelecidos pela Justiça.

Veja também  Paraíba ultrapassa 9,4 mil mortes por Covid-19 e tem mais de 445 mil casos da doença

O JORNAL DA PARAÍBA também ouviu um policial envolvido na captura de Alex, e ele negou a acusação.Disse ter tomado conhecimento apenas após o contato da reportagem.

O delegado da Polícia Civil da Paraíba, Rodolfo Santa Cruz, reiterou que o suspeito confessou o crime ao ser encaminhado para a Paraíba, na Central de Polícia de João Pessoa, e não em Pernambuco.

A reportagem  também entrou em contato com o comando da Polícia Militar de Pernambuco, através da assessoria de imprensa,  para obter esclarecimentos sobre o assunto e segue aguardando respostas.

A Justiça da Paraíba decidiu, durante a audiência de custódia, encaminhar a acusação feita por José Alex ao Ministério Público, para que seja apurada. José Alex da Silva, vai ser encaminhado para a Penitenciária de Segurança Máxima Doutor Romeu Gonçalves de Abrantes, conhecida como PB1.