Relembre as principais operações policiais e do Ministério Público, na Paraíba, em 2021

As ações serviram para desarticular facções criminosas, esquema de lavagens de dinheiro e assaltos a bancos no Estado.

Foto: Reprodução/Polícia Civil

O ano de 2021 foi marcado por várias operações da Policia Federal, Policia Civil e Ministério Público, na Paraíba, que serviram para desarticular facções criminosas, esquema de lavagens de dinheiro e assaltos a bancos. Algumas das ações, conseguiu tirar milhões de reais de circulação do crime organizado da Paraíba.

Para além do dinheiro, também, aconteceu a prisão de suspeitos procurados em todo o Nordeste e a apreensão de artefatos de alto poder destrutivo, que seriam utilizados para roubos a banco e carros-fortes.

O Jornal da Paraíba levantou dados, junto com os órgãos responsáveis pelas operações policiais realizadas em 2021, na Paraíba, para identificar quais foram as mais importantes. Até a publicação desta matéria, a Polícia Militar da Paraíba não havia encaminhado os dados sobre as suas operações em 2021.

Veja quais foram as principais operações em 2021, da Polícias Federal e Civil e do Ministério da Público da Paraíba:

Ministério Público da Paraíba

Operação ‘Fianza’

Delegado de Teixeira, PB, é preso por cobrar vantagem indevida e apropriar-se de bens apreendidos — Foto: Divulgação/Polícia Civil

O trabalho aconteceu de forma conjunta com o Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público da Paraíba (Gaeco-MPPB) e o apoio de órgãos como o Instituto de Polícia Científica e Polícia Militar da Paraíba e Polícia Civil.

Na operação, o delegado da Polícia Civil Severino Gomes de Assis, que atuava na cidade de Teixeira, Sertão da Paraíba, foi preso, em dezembro de 2021, suspeito de cobrar vantagem indevida e apropriar-se de bens apreendidos de prisões em flagrante.

O delegado abordava os presos, parentes dos presos e advogados dos presos para que lhe pagassem alguma quantia com a intenção de baixar o valor a ser pago a título de fiança, o que configura o crime de corrupção passiva.

 

Operação Fardo Pesado

Operação Fardo Pesado acontece em João Pessoa, Sapé e Serra Branca — Foto: Divulgação/MPPB

Na operação, seis mandados judiciais de busca e apreensão foram cumpridos em outubro em uma operação do Núcleo de Combate à Sonegação Fiscal do Estado da Paraíba em três cidades. A “Operação Fardo Pesado” acontece nas cidades de João Pessoa, Sapé e Serra Branca.

Segundo o núcleo, a operação visou desarticular uma suposta associação criminosa que estaria comprando mercadorias provenientes de crime, com a finalidade de viabilizar a circulação dos produtos sem recolhimento de ICMS devido ao estado.

Os mandados foram expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Regional Criminal de Mangabeira. Cerca de 50 agentes públicos, entre auditores fiscais estaduais, policiais civis, promotores de Justiça e outros servidores participam da operação.

Operação Terceiro Mandamento

Operação Terceiro Mandamento – Foto: Divulgação/Ministério Público da Paraíba

A operação aconteceu nos municípios de São Bento, no Sertão da Paraíba, foram divulgadas pela Secretaria de Estado da Fazenda da Paraíba (Sefaz-PB), em outubro de 2021. Segundo informações do Ministério Público da Paraíba (MPPB), as investigações foram sobre a atuação de um grupo suspeito de fraude no ICMS duraram cerca de três anos.

O grupo distribuía produtos sem declaração de ICMS para comerciantes paraibanos. A atuação acontecia por meio de núcleos especializados em funções específicas. O Núcleo de Falsificação emitia RG e CPF de pessoas que não existiam, para empresas de fachada e empresas fantasmas. Já o Núcleo de Contadores abria as empresas de fachada.

Durante o período investigado, foram emitidas aproximadamente 11 mil notas fiscais de entrada de mercadorias e 45 mil notas fiscais de saída, resultando em um total comercializado de R$ 881 milhões, sem o recolhimento do ICMS devido em tais operações, o que resulta em um prejuízo ao Estado da Paraíba, já comprovado, de R$ 230 milhões.

Operação Quadrilátero

Operação Quadrilátero Foto: reprodução/Tv Paraíba

A operação, que aconteceu em julho de 2021, cumpriu 96 mandados de prisão de foragidos da Justiça, na Paraíba. Os alvos estavam sendo procurados por roubos, tráfico de drogas, homicídios, estupro, furto, violência doméstica, estelionato, organização criminosa, receptação e porte ilegal de arma.

Os mandados de prisão foram cumpridos em bairros da Zona Sul de João Pessoa e na região de Campina Grande.

A operação “Quadrilátero” foi uma ação conjunta com as polícias Militar e Civil, da Corregedoria Geral da União e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Polícia Civil

Quase 700 mil cigarros contrabandeados em Coremas, na Paraíba

Quase 700 mil cigarros contrabandeados em Coremas, na Paraíba Divulgação/Polícia Civil

 

Em julho de 2021, quase 700 mil unidades de cigarros contrabandeados, duas espingardas, dois revólveres e R$ 124.255,00 entre dinheiro e talões de cheques foram apreendidos em uma operação da Polícia Civil da Paraíba. A ação foi realizada pelas equipes da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (DRACO) e o Grupo Tático Especial (GTE) de Patos, no Sertão do Estado.

 

Um dos assaltantes de banco mais procurados do Nordeste foi preso em 2021

delegado preso
Foto: Reprodução/Polícia Civil

 

Uma ação conjunta da Polícia Civil da Paraíba, Polícia Civil do Rio Grande do Norte e Polícia Rodoviária Federal resultou na prisão de um dos um dos assaltantes de banco mais procurados do Nordeste. Ele foi preso no dia 25 de novembro de 2021, na cidade de Patos, no Sertão da Paraíba.

O homem, de 40 anos, era foragido da justiça e, de acordo com as investigações, chegou a movimentar em torno de R$ 20 milhões por mês nos dois estados – Paraíba e Rio Grande do Norte -, chefiando negócios ligados ao tráfico de drogas.

Veja também  Prima de juíza paraibana encontrada morta diz não acreditar em suicídio: ‘queremos entender os motivos’

Maior apreensão de drogas da Paraíba, em 2021

Maior apreensão de drogas da Paraíba, em 2021 Foto: divulgação/Polícia Civil

A apreensão aconteceu no dia 22 de outubro de 2021. Foram apreendidos cerca de 300 Kg de drogas, sendo 250 Kg de maconha e 50 Kg de pasta base de cocaína. A polícia, também, prendeu duas pessoas.

De acordo com o delegado Bruno Victor, toda a droga e também uma máquina para fazer a prensagem foram encontrados enterrados em uma granja localizada na Praia do Sol, em João Pessoa. Na granja, foi preso, também, um homem que estaria tomando conta do material ilícito.

Maior apreensão de dinamites, no Agreste da Paraíba

Maior apreensão de dinamites, no Agreste da Paraíba Divulgação/Polícia Civil

A maior apreensão de dinamites registrada em Campina Grande no ano de 2021 foi realizada pela Polícia Civil da Paraíba, durante operação da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), no dia 27 de dezembro. Foram 152 artefatos explosivos que, de acordo com a polícia, estavam prontos para serem usados em ataques a bancos.

Na operação, foram apreendidos, também, quatro armas, munições e um colete balístico, além de bicicletas de alto valor comercial.

Todo o material estava em uma casa no bairro Itararé, em Campina Grande. Os policiais já estavam investigando as pessoas que moravam no local há meses e conseguiram um mandado judicial de busca e apreensão.

Polícia apreende 300 quilos de drogas e R$ 1,3 milhão em dinheiro do crime organizado 

Polícia Civil apreende 300 quilos de drogas e R$ 1,3 milhão em dinheiro do crime organizado na Paraíba Foto: Divulgação/Policia Civil

Uma operação da Polícia Civil apreendeu uma grande quantidade de dinheiro que seria utilizado para fortalecer o crime organizado na Paraíba, em 2021. A ação aconteceu no dia 15 de dezembro, no município de Alagoinha. 

De acordo com informações da polícia, mais de 300 quilos de drogas foram apreendidos, além de uma quantia em valor de aproximadamente R$ 1,3 milhões. Três homens foram presos e um adolescente apreendido.

Polícia Federal 

No ano de 2021 a Polícia Federal da Paraíba coordenou 10 operações especiais nas quais foram cumpridos 183 mandado de busca e apreensão e mandados de prisão preventiva, junto com bloqueio de R$14.587.0001,15.

Dentre as operações especiais que mais se destacaram estariam as operações:

Operação Select

Foto: Secom-PB

A Operação Select cumpriu 28 mandados de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa, Santa Rita, Caldas Brandão, Mamanguape, Cuité de Mamanguape, Alhandra, Lagoa de Dentro, Serra da Raiz e Lagoa, todas na Paraíba, em setembro de 2021. A operação investigou irregularidades nos gastos públicos com relação à Covid-19.

As investigações tiveram como objetivo apurar a compra de kits de testes rápidos para detecção da Covid-19 com sobrepreço potencial, por meio de procedimentos de dispensa de licitação, em tese fraudados.

Relações Perigosas

Operação Relações Perigosas Foto: Divulgação/Polícia Federal

Foi deflagrada no mês de julho de 2021, em João Pessoa, a Operação Relações Perigosas que teve como objetivo dar cumprimento a nove mandados de prisão preventiva e 10 mandados de busca e apreensão e investigar o uso de contas bancárias no tráfico de drogas. Também resultou no bloqueio de cerca de 200 contas bancárias.

Segundo a PF, durante o trabalho investigativo foi percebido que mesmo presos, os suspeitos estavam conseguindo ter uma atuação no ramo de tráfico de drogas, contando com apoio de terceiros fora do sistema prisional.

Operação Insônia

Operação Insônia Foto: Divulgação/Polícia Federal

Foi deflagrada em novembro de 2021 a Operação Insônia, com o objetivo de reprimir o tráfico interestadual de drogas, via postal. Foram cumpridos um total de 48 mandados de busca e apreensão na Paraíba e nos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Goiás, Pará, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Roraima.

As investigações começaram quando a Polícia Federal identificou que o grupo criminoso remeteu mais de 500 encomendas postais com a droga, conhecida popularmente como “ecstasy” ou “bala”.

O processo de investigação também apontou que a comercialização do entorpecente ocorria por meio de aplicativos de mensagens e tiveram como destinatários traficantes da cidade de Campina Grande, João Pessoa e municípios dos outros estados que são alvo da ação.

Operação Menoridade

Operação Menoridade Foto: Divulgação/Policia Federal

Foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão, três mandados de prisão preventiva e 12 mandados de prisão temporária em Campina Grande, São Bento, Jaboatão dos Guararapes (PE), Caruaru (PE), Canhotinho (PE), Goiânia (GO) e no Presídio Federal em Catanduvas (PR), em agosto de 2021.

A Operação Menoridade teve como objetivo desarticular uma organização criminosa relacionada a um dos presos que fugiram do Presídio PB1 em 2019.

Operação Bleeder

Operação Bleeder Foto: Ascom

Deflagrada em novembro de 2021, em João Pessoa, Campina Grande, Patos, Paulista e Pombal, na Paraíba, a Operação Bleeder. Foi desencadeada após uma delação premiada e a descoberta de um grupo em um aplicativo de mensagens, de acordo com o Ministério Público Federal (MPF). A operação investiga o desvio de verbas em obras hídricas que custaram R$ 79 milhões na Paraíba.

As declarações feitas na delação premiada foram cruzadas com as trocas de mensagens. “Prints de conversa de WhatsApp. Foi a partir da análise das mensagens, do depoimento do colaborador e de outros indícios que os investigadores aprofundaram a investigação.