Novas filiações elevam partidos na base do prefeito Luciano Cartaxo

Aliados negociam filiação em outras siglas sob a condição de que elas estarão na base de apoio do atual prefeito.

O troca-troca de partidos na reta final de vigência da ‘janela da infidelidade’ tem servido para reforçar a aquisição de siglas para a base aliada do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), que vai disputar a reeleição em João Pessoa. A três dias para o fim do prazo, PHS, PMN e PCdoB receberão aliados do pessedista com o compromisso de apoiá-lo no pleito deste ano. Ontem, os vereadores Santino e o licenciado Helton Renê anunciaram filiação no PMN e PCdoB, respectivamente.

O movimento dos vereadores traz para a base de Cartaxo dois partidos que flertavam com candidaturas oposicionistas. O PCdoB historicamente faz composições com o PSB de João Azevedo ou com o PT de Charliton Machado. Já o PHS estava no arco de alianças anunciado anteriormente pelo deputado federal Wilson Filho (PTB), pré-candidato a prefeito da capital. Renê deixa o PP, enquanto Santino está abandonando o PTdoB.

Ainda ocupando o Procon Municipal, Helton Renê deve voltar à Câmara no início de abril já filiado ao PCdoB. Apesar de o partido ser aliado do PSB do governador Ricardo Coutinho na esfera estadual, Renê disse que trocou o PP pelo PCdoB apenas porque teve a garantia do presidente municipal do partido, Agamenon Sarinho, de que a legenda vai apoiar o projeto de reeleição de Cartaxo. “Acredito que o PCdoB não vá voltar atrás. Ponderando o bom senso e a prudência que estamos indo para fortalecer a candidatura  de Cartaxo”, disse.

À parte das motivações políticas, Renê também revelou questões partidárias que motivaram a sua decisão. “Eu gosto de discutir, de construir no coletivo, e no PP não havia espaço para isso. As discussões só acontecem em momentos políticos pontuais, e quando acontecem. Saio com tristeza, porque cultivei amigos, mas no PCdoB terei espaço”, justificou.

Também querendo estar no palanque de Cartaxo, o vereador Santino deixou ontem o PTdoB. O partido é aliado do governador Ricardo Coutinho (PSB) na esfera estadual e deve apoiar a pré-candidatura de João Azevedo para prefeito da capital. 

Na base governista, a incógnita ainda é o destino do vereador Bosquinho (DEM), que tem sido pressionado para tomar uma postura. O Democrata é aliado do prefeito Luciano Cartaxo, mas o partido deve manter aliança com o PSB e apoiar João Azevedo na capital.

No caso de Marco Antonio, ele foi para o PHS já com status de presidente municipal do partido. A expectativa é de que haja uma articulação para sepultar a propositura do deputado Wilson Filho (PTB) como pré-candidato na capital e consiga levar o PTB para a coligação de apoio ao prefeito.

Já o oposicionista Lucas de Britto usou a tribuna da Casa, ontem, para oficializar a saída do Democratas. Ele deve ir para o PSL e levar consigo o ainda governista Djanilson (PPS). Britto tem pretensões de se candidatar a prefeito da capital.