Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Xeque-Mate: prefeito de Cabedelo e mais 19 viram réus por suposto esquema de ‘fantasmas’

Por LAERTE CERQUEIRA e ANGÉLICA NUNES

Foto: Reprodução/TV Cabo Branco/Arquivo

O prefeito de Cabedelo, Vitor Hugo (DEM), o ex-prefeito da cidade, Leto Viana, além de outras 18 pessoas, dentre elas vereadores e ex-vereadores, viraram réus em denúncia de suposta participação em esquema de contratação de servidores fantasmas e “rachadinhas” na Câmara Municipal da cidade. Os fatos teriam ocorrido na gestão de Leto, em especial nos dois últimos anos, 2017 e 2018.

Na ação, o Gaeco, do Ministério Público da Paraíba, pede a perda do mandato eletivo dos envolvidos(caso tenham), além do pagamento de R$ 5,1 milhões a título de indenização por danos materiais e morais.

A denúncia do Gaeco foi apresentada no fim de abril e tem como base as delações feitas pelo então presidente da Casa, Lucas Santino, no curso da Operação Xeque-Mate. Na denúncia está exposto todo o suposto esquema promovido pelo então prefeito Leto Viana, junto aos vereadores de Cabedelo, dentre eles, segundo o MP, Vitor Hugo.

Segundo o MP, o grupo político foi “pródigo” na criação de estratégias para render fácil acesso à verbas públicas por meio de práticas reiteradas como fraudes licitatórias, doações irregulares de terrenos públicos, renúncias de receitas e, sobretudo, a inserção no quadro funcional de uma “legião de servidores-fantasmas, os quais eram verdadeiros instrumentos de diversos vereadores e não só do então Prefeito”.

Veja também  “Isso é para desestabilizar as receitas estaduais”, diz Marialvo sobre congelar alíquota do ICMS

Além da não prestação dos serviços públicos, as pessoas inseridas indevidamente na folha de pessoal em benefício dos denunciados, ele não recebiam a totalidade da remuneração. Estes “servidores públicos fictícios” estiveram vinculados a gabinetes de vereadores de Cabedelo.

Vitor Hugo

Ao Conversa Política, o prefeito Vitor Hugo afirmou que recebe com naturalidade o recebimento da denúncia por parte do juiz da 1 Vara Mista de Cabedelo, Henrique Jorge Jácome. Afirmou que apresentará os esclarecimentos necessários, com a convicção de que é inocente.

Segundo ele, não houve, por parte dele, nenhuma irregularidade na contratação de assessores, que seria um direito como parlamentar.

Outros réus

Além de Vitor Hugo e Leto Viana, agora são réus: Jaqueline Monteiro França; Lúcio José do Nascimento Araújo; Antônio Bezerra do Vale Filho; Francisco Rogério Santiago Mendonça; Belmiro Mamede da Silva Neto; Rosivaldo Alves Barbosa; Tércio de Figueiredo Dornelas Filho; Rosildo Pereira de Araújo; Antônio Moacir Dantas Cavalcanti Júnior; Josué Pessoa de Góes; Reinaldo Barbosa de Lima; Fabiana Maria Monteiro Regis; Leila Maria Viana do Amaral; André Franklin de Lima Albuquerque; Gleuryston Vasconcelos Bezerra Filho (colaborador); Adeildo Bezerra Duarte; Lindiane Mirella Alves de Medeiros; Marlene Alves da Cruz.