Após prisão de dono, Polícia Federal faz buscas na sede da Fiji

Ação da Polícia Federal ocorre em Campina Grande e na cidade de Gurjão.

Cumprimento de mandados na sede da Fiji Solutions, em Campina Grande. Foto: Polícia Federal/Divulgação

Equipes da Polícia Federal fazem buscas agora pela manhã na sede da empresa Fiji, que atua no ramo de criptoativos na Paraíba, no bairro do Catolé. Mandados de busca também estão sendo cumpridos na cidade de Gurjão e no bairro Itararé.

Os mandados fazem parte da Operação Ilha da Fantasia, que tem como objetivo combater crimes contra o sistema financeiro nacional e de organização criminosa, em tese cometidos por gestores das empresas Fiji e Softbank.

Foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão, além de 3 mandados de prisão preventiva.

LEIA TAMBÉM: Justiça determina bloqueio de R$ 399 milhões em bens da Fiji Solutions

Prisão de sócio por abuso sexual

Os mandados são cumpridos um dia após a prisão do proprietário da Fiji, Bueno Aires, preso temporariamente nesta quarta-feira (14) no Rio de Janeiro em uma outra investigação, que apura suspeitas da prática de abuso sexual infantil. Ele também foi um dos alvos dos mandados de prisão cumpridos nesta quinta-feira (15).

A polícia ainda apura a posse de imagens de crianças em cenas inapropriadas.

Operação Ilha da Fantasia

O nome da operação remete a um dos nomes comerciais utilizados pelo grupo criminoso, e ainda ao modus operandi empregado, que envolvia a promessa de rendimentos irreais aos investidores.

Segundo a Polícia Federal, nos últimos 3 anos foram movimentados pelos principais investigados valores equivalentes a aproximadamente R$ 600 milhões.