Caso Braiscompany: sócios estão foragidos há 30 dias e paradeiro vira mistério de milhões

Sócios são alvo de mandados de prisão expedidos pela Justiça Federal

Antônio Neto Ais e Fabrícia Ais, sócios da Braiscompany

Alvos de mandados de prisão expedidos pela Justiça Federal, os sócios da empresa Braiscompany estão foragidos há um mês. Era 16 de fevereiro quando a Polícia Federal, juntamente com o MPF e o Gaeco, deflagraram a operação Halving. O foco da investigação são as denúncias de fraudes envolvendo a atuação da empresa com criptoativos.

Hoje o paradeiro de Antônio Inácio da Silva Neto e da esposa dele, Fabrícia Farias Campos, é mistério. Há relatos de que os dois estariam em um país distante, mas sem confirmação.

Famosos por esbanjarem riqueza e glamour, patrocinando grandes eventos com campanhas como a ‘São João de Milhões’, os dois estão na mira da Justiça.

A resposta para a pergunta sobre onde encontrá-los valeria, sem dúvida,  ‘milhões’ para os investigadores da PF.

Recentemente um empresário pediu na Justiça o desbloqueio de uma embarcação negociada com Antônio Neto. Detalhe: um negócio também milionário.

A investigação na Braiscompany

A operação investiga uma movimentação financeira de R$ 1,5 bilhão feita pela Braiscompany em criptoativos. Dois mandados de prisão foram expedidos tendo como alvos o empresário, Antônio Neto, e a esposa dele, Fabrícia Farias Campos.

Na operação a Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e a suspensão parcial das atividades da empresa.

Oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Campina Grande, João Pessoa e São Paulo.