Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

Depois de polêmica, Cabo Gilberto irá se vacinar e deputados recuaram no corte de salário de não-vacinados

Foto: reprodução
Foto: divulgação/ALPB

A manhã desta terça-feira (05) foi de polêmica na Assembleia Legislativa da Paraíba. Foi também de algumas contradições. Começou com o deputado Cabo Gilberto (PSL) entrando no plenário da Casa com teste negativo de Covid-19, mas sem estar com o ciclo vacinal completo, como exigia uma resolução da própria Assembleia.

Ou seja, o parlamentar enfrentou, afrontou e deixou os colegas sem saber o que fazer, sem acreditar no que estava acontecendo. Alguns, como deputado Hervázio Bezerra (PSB), externaram  descontentamento. Outros, engoliram em seco, para evitar o conflito.

Mas, para evitar possíveis constrangimentos e pressões, agiram de maneira contraditória. Permitiram a permanência do Cabo, para acelerar a votação de um projeto que barra não-vacinados em locais públicos e privados. Olha só: jogaram a “resolução no lixo” para votar um projeto que trazia normas parecidas com as da resolução.

No fim das contas, aprovaram o passaporte da vacina pra “geral”, mas, para evitar problemas, suprimiram o artigo que previa o corte de salário de servidores. O ponto mais polêmico que escancarava a contradição do dia, quando se votava uma regra passando por cima de uma outra.  No fundo, ninguém queria mais barulho com algo que poderia ser questionado.

Veja também  Estados tentam no STF adiar redução do ICMS sobre energia para 17% a partir de 2024

Todos obtiveram ainda o compromisso do deputado Cabo Gilberto, que decidiu que vai se vacinar. Ele confirmou ao Conversa Política que fará isso nos próximos dias.

Sobre o texto aprovado, restaram as condicionantes e sanções mais razoáveis, que já estão consagradas, inclusive, nas decisões das cortes superiores. Mesmo assim, o deputado Wallber Virgulino (Patriotas), que votou contra a medida já avisou que vai entrar com uma mandado de segurança.

Agora, se nada mudar, basta a sanção do governador João Azevêdo (Cidadania), que já acenou que é a favor das regras para forçar a vacinação de quem resiste.

Outras questões 

Outra questão importante é saber como ficarão as regras mais restritivas de acesso a vários locais, que, agora, podem exigir o cartão de vacinação. O deputado Ricardo Barbosa (PSB), um dos autores do projeto do passaporte, acredita que os novos decretos devem permitir acesso de 100% das pessoas nos estabelecimentos, desde que apresentem o passaporte com informações da  primeira dose ou do ciclo vacinal completo.