João Paulo Medeiros

Líder do Governo na Câmara, vereador faz confusão ao misturar ‘passaporte’ da vacina com discurso religioso

Alexandre do Sindicato comparou ‘passaporte’ aprovado na Assembleia ao ‘número da besta’

Foto: reprodução
Foto: reprodução

O vereador e líder do Governo na Câmara de Vereadores de Campina Grande, Alexandre do Sindicato (PSD), foi o autor hoje, na tribuna da ‘Casa’, mais uma vez, de um discurso que em nada colabora para a resolução dos problemas e para o enfrentamento da pandemia da covid-19.

Pelo contrário.

Apenas acentua o nível de desinformação e confusão mental nas pessoas, já torpedeadas desde o início da pandemia com um discurso negacionista – que afronta a ciência e as regras de isolamento social no país.

Ele comparou o ‘passaporte’ da vacina, projeto aprovado ontem pela Assembleia Legislativa da Paraíba e que regulamenta o acesso das pessoas que recusarem ser imunizadas a locais públicos, ao “número da besta”.

“Isso não é um passaporte da vacina. Isso é o passaporte do anticristo. Se você for ler o livro de Apocalipse, parece que está se cumprindo. Só vende, só compra, só entra, só sai se tiver o número da besta. Esse passaporte da vacina para mim é o número da besta”, bradou, fazendo uma inferência completamente descontextualizada da bíblia.

Veja também  Na Paraíba: Focco promove evento no Dia Internacional de Combate à Corrupção

O vereador, que diz ser favorável à vacinação, ainda jogou dúvidas sobre a eficácia da Coronavac.

“Ontem eu entrei num elevador. E ia descendo um cidadão e o rapaz perguntou: ‘já tomou a vacina?’. Eu digo, tomei. E tomei daquela que não funciona, a coronavac. Tomei da que não funciona”, disse.

Depois de fazer declarações (supostamente irônicas) inadequadas na tribuna de que seria “negativista”, Alexandre confunde a cabeça das pessoas ao misturar teses religiosas, descontextualizadas, com medidas de enfrentamento à pandemia.

Um desserviço para quem ocupa, inclusive, a liderança de um Governo.