Com leilão sem lances, bens da Braiscompany voltarão a ser reavaliados pela Justiça

Leilão da Braiscompany foi encerrado às 11h de hoje

Terminou há pouco e ‘deserto’ (sem lances) o leilão promovido pela Justiça Federal dos bens móveis bloqueados da empresa Braiscompany. Mais de 5,3 mil pessoas visitaram o site do responsável pelo leilão, mas ninguém quis arrematar os automóveis de luxo e uma embarcação.

Segundo o leiloeiro responsável, Miguel Neto, como não ocorreram lances o processo agora volta para a Justiça. A 4ª Vara decidirá se será realizado um novo leilão ou não.

Foram oferecidos um veículo Porsche avaliado em R$ 745 mil, um Evoque no valor de R$ 120 mil, um automóvel RAM 2500 avaliado em R$ 420 mil e uma embarcação motoaquática ofertada por R$ 70 mil. 

Inicialmente a 4ª Vara da Justiça Federal determinou que R$ 6,1 milhões em bens da empresa fossem leiloados, incluindo bens móveis e imóveis. Mas uma decisão do desembargador Sebastião José Vasques de Morais, do Tribunal Regional Federal (TRF5), retirou as casas do procedimento.

Somente um dos imóveis, localizado em um condomínio de luxo entre Campina e Lagoa Seca, foi avaliado em R$ 2,8 milhões.

braiscompany
Foto: divulgação/PF

A investigação na Braiscompany

A operação investiga uma movimentação financeira de R$ 2 bilhões feita pela Braiscompany em criptoativos. Dois mandados de prisão foram expedidos tendo como alvos o empresário, Antônio Neto, e a esposa dele, Fabrícia Farias Campos. Os dois continuam foragidos.

Na operação a Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e a suspensão parcial das atividades da empresa.

Oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Campina Grande, João Pessoa e São Paulo.