De patrocinadores do São João a foragidos da Justiça: as reviravoltas da vida e os donos da Braiscompany

Donos da Braiscompany continuam foragidos da Justiça

Antônio Neto Ais e Fabrícia Ais, sócios da Braiscompany

Há um ano na lista dos principais patrocinadores do maior São João do Mundo, de Campina Grande, estavam a empresa Braiscompany e seus sócios, Antônio Inácio da Silva Neto e Fabrícia Farias. No Parque do Povo, um camarote localizado numa posição privilegiada atraía a atenção de muitos pelo luxo e também convidados – famosos do país e até autoridades.

Uma reviravolta, porém, transformaria em lenda o ‘sonho’ de riqueza e glamour. 

Hoje, um ano depois, o casal está foragido da Justiça, após ser alvo da Operação da Polícia Federal. Milhares de investidos recorreram à Justiça denunciando a possível ‘fraude’ que, para a investigação, não passou de mais um esquema de pirâmide financeira.

 Não se sabe ainda o paradeiro de Antônio Neto e Fabrícia Farias. Nem em quais condições estariam vivendo na condição de foragidos da Justiça.

Fato, porém, é que as reviravoltas da vida impuseram ao dois e à empresa dias pouco animadores. Do São João do ano passado até hoje o império perdurou muito menos que 365 dias. 

Ingênuo é ainda quem continua a acreditar em prosperidade meteórica. Em riqueza sem dedicação, suor e trabalho.

braiscompany
Foto: divulgação/PF

A investigação na Braiscompany

A operação investiga uma movimentação financeira de R$ 2 bilhões feita pela Braiscompany em criptoativos. Dois mandados de prisão foram expedidos tendo como alvos o empresário, Antônio Neto, e a esposa dele, Fabrícia Farias Campos.

Na operação a Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e a suspensão parcial das atividades da empresa.

Oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Campina Grande, João Pessoa e São Paulo.