Justiça bloqueia mais R$ 136 milhões da Braiscompany e PF cumpre mandados em SP e Sergipe

Mandados foram cumpridos na manhã de hoje em dois Estados

Antônio Neto Ais e Fabrícia Ais, sócios da Braiscompany

A Polícia Federal, em conjunto com o Ministério Público Federal, deflagrou na manhã de hoje a Operação Trade-Off. O objetivo é combater a lavagem de dinheiro decorrente dos crimes contra o sistema financeiro e contra o mercado de capitais, em tese cometidos por sócios e colaboradores de empresa Braiscompany, especializada em criptoativos.

Segundo as investigações, nos últimos quatro anos foram movimentados valores equivalentes a aproximadamente R$ 2 bilhões em criptoativos em contas vinculadas aos suspeitos.

Três mandados de busca e apreensão foram cumpridos: dois na cidade de São Paulo/SP e um na cidade de Aracaju/SE.

Houve ainda ordem judicial exarada pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária da Paraíba para indisponibilidade de bens no valor de R$ 136 milhões em nome dos investigados.

Trade-off é um termo amplamente utilizado em economia e administração e refere-se à situação em que é necessário fazer uma escolha que envolve sacrificar algo em favor de outra coisa. Sacrifica-se alguma coisa para obter um bem maior, que por vezes causa um tipo de dilema.

braiscompany
Foto: divulgação/PF

A investigação na Braiscompany

A operação investiga uma movimentação financeira de R$ 2 bilhões feita pela Braiscompany em criptoativos. Dois mandados de prisão foram expedidos tendo como alvos o empresário, Antônio Neto, e a esposa dele, Fabrícia Farias Campos. Os dois continuam foragidos.

Na operação a Justiça Federal também determinou o bloqueio de bens e a suspensão parcial das atividades da empresa.

Oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Campina Grande, João Pessoa e São Paulo – na primeira fase.