João Paulo Medeiros

Justiça cassa chapa eleita em setembro e Gado Bravo poderá ter novas eleições

Justiça decidiu ainda manter a diplomação da chapa até que os recursos no TRE sejam julgados

Foto: Wesley Moura
Foto: Wesley Moura

O juiz da 49ª Zona Eleitoral em Queimadas, Jeremias de Cássio Carneiro de Melo, julgou procedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) proposta pelo Ministério Público e cassou o registro de candidatura do prefeito eleito da cidade de Gado Bravo, Marcelo Paulino da Silva, e do vice, Cícero Edmark Araújo.

A decisão ainda torna os dois inelegíveis por 8 anos.

A chapa havia sido eleita no dia 12 de setembro deste ano, numa eleição suplementar, após Evandro Araújo ter sido barrado pela Lei da Ficha Limpa, ano passado.

Veja também  Empresa contratada por Mario Frias, no Rio, recebeu mais de R$ 2 milhões de prefeituras da Paraíba

A AIJE apurava abuso de poder econômico e político por parte da campanha de Marcelo Paulino, através da contratação de uma empresa de comunicação para campanha eleitoral. A mesma empresa tinha sido contratada para prestar serviços à prefeitura.

Apesar da decisão, o magistrado manteve a diplomação sub judice da chapa, até que o TRE julgue eventuais recursos.

Caso o Colegiado mantenha a decisão, a cidade deverá ter novas eleições.

O Blog ainda não conseguiu contato com a prefeitura de Gado Bravo, nem com os demais citados na decisão.