Ministro do STJ rejeita pedido para trancar investigação da ‘Festa no Terreiro’

Operação ‘Festa no Terreiro’ foi deflagrada no início de março

Foto: divulgação/PF

O ministro João Batista Moreira, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), negou um pedido para barrar o andamento das investigações relativas à Operação ‘Festa no Terreiro’, deflagrada pelo Gaeco e pela Polícia Federal no início de março deste ano. O caso ficou ‘famoso’ após os policiais terem encontrado uma ‘oração do dinheiro’ na residência de um dos alvos.

A investigação apura desvios de R$ 8 milhões.

Um dos investigados pela operação, o prefeito de São Mamede, Umberto Jefferson, negou envolvimento com qualquer fraude. 

No pedido para trancar a investigação, a defesa do prefeito alega que o inquérito em curso na Polícia Federal da Paraíba é ilegal, já que, segundo os advogados, os crimes apontados pela acusação envolvem recursos públicos municipais.

Ao analisar o caso, porém, o ministro ressaltou que a decisão para cumprir os mandados de busca partiu de um desembargador do TJ e que o Pleno ainda não manifestou-se sobre o tema.

Os investigadores miram gastos e pagamento de supostas propinas em obras da construção civil.

A operação é um desdobramento da ‘Bleeder’, que já havia cumprido ordens judiciais no mês passado nas duas cidades. No caso da ‘Bleeder’, a investigação apura desvios e superfaturamento em obras hídricas da Paraíba.