Angélica Nunes
Laerte Cerqueira

MPs, CRM e UFPB criarão comitê para acompanhar lotação nas UTIs

Por LAERTE CERQUEIRA

Os Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho vão criar, junto com Conselho Regional de Medicina da Paraíba e pesquisadores da UFPB, um comitê para acompanhar e investigar a lotação, superlotação e distribuição de vagas nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dos hospitais do estado. A ideia é que promotores tenham o apoio científico para uma eventual tomada de decisão, investigações, processo, análise de procedência de denúncias.

Um dos pontos que podem entrar no radar do grupo é índice de mortalidade.

“Tem determinados hospitais que têm um índice de mortalidade altíssimo. Tem hospital que é de 80% o índice de mortalidade, enquanto outros é de 10%. O que é que está acontecendo?”, questiona um promotor vai integrar o grupo.

>>Ocupação de leitos UTI Covid passa de 90% em João Pessoa e no Sertão da Paraíba, revela CRM-PB

Procedimentos 

A partir de denúncias de cidadãos, o Ministério Público da Paraíba já abriu procedimentos para investigar o déficit de médicos em unidades hospitalares de João Pessoa, as eventuais faltas de insumos e de estrutura para abrir leitos de UTI, nos atendimentos de pacientes com Covid-19.

Veja também  Deputada Edna Henrique desiste de candidatura e oficializa apoio a Hugo Motta